Barcos-bola são nova ameaça ao remo na raia olímpica

Barcos-bola ocupam raia de remo na Lagoa (Foto: FRERJ)

Barcos-bola ocupam as rampas do remo na Lagoa
(Foto: FRERJ)

Não bastassem os pedalinhos que cruzam a raia olímpica da Lagoa Rodrigo de Freitas, os remadores da seleção brasileira e dos clubes cariocas correm o risco de ter novos obstáculos em sua rotina de treinos rumo à Rio 2016: barcos em forma de bolas de futebol. A novidade causou indignação na Federação de Remo do Estado do Rio (FRERJ), que registrou Boletim de Ocorrência policial e notificou extrajudicialmente a Glenn Participações, permissionária do Estádio de Remo, sobre o uso indevido das rampas da entidade.

“A prática da Glenn configura desvio de finalidade da permissão de uso.  A maior prova foi agora: alugar o espaço das rampas de acesso, que são um legado do Pan para o remo”, criticou o presidente da Federação estadual, Paulo Carvalho, que chamou a PM para denunciar a presença das “bolas” na área usada pelos remadores para pôr os barcos na água.

As estruturas seriam usadas para venda de ingressos para passeios de “float balls”, barcos em forma de bolas de futebol, movidos a motor elétrico, com lugar para 10 pessoas. A iniciativa está associada à Copa do Mundo e foi desenvolvida na África do Sul, para o último mundial de futebol.

Em documento divulgado em sua página no Facebook, a FRERJ notificou a Glenn para que “ordene imediata remoção das embarcações das rampas que são propriedade da FRERJ, e se abstenha de autorizar ou permitir a colocação de novas rampas flutuantes entre a torre de premiação até a área dos boxes dos clubes (Estádio de Remo), sob pena de serem tomadas imediatas providências tanto na esfera civil como criminal”.

A notificação diz que a permissionária “locou a terceiros, na ‘calada da noite’ e sem qualquer comunicação prévia a esta Federação, espaço físico para venda de ingressos de bilheteria com fins de passeio turístico de embarcações a motor, o que configura a comunhão de interesses pela exploração comercial do local em detrimento ao esporte”.

A FRERJ solicitou à Confederação Brasileira de Remo (CBR) a rescisão do convênio da entidade nacional com a Glenn, parte do contrato da permissionária com o Governo do Estado, para que um novo aditivo seja feito com a participação também da Federação estadual. “Queremos garantir a finalidade do espaço, que é o fomento ao remo e o desenvolvimento do esporte”, afirma Paulo Carvalho.

 

© Remo em Voga ®

 

Anúncios

Sobre remoemvoga

Notícias e vídeos sobre o remo brasileiro e competições internacionais
Esse post foi publicado em Remo Estadual e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s