Brasileiro reúne mais de 300 remadores na raia Olímpica

Barcos ocupam estacionamento no Estádio de Remo (Foto: Remo em Voga)

Barcos ocupam estacionamento na Lagoa
(Foto: Remo em Voga)

O primeiro dia do Campeonato Brasileiro de Remo Júnior e Sênior, na raia da Lagoa Rodrigo de Freitas, foi marcado pelo improviso. Com as garagens do Estádio de Remo ainda não liberadas após a cessão para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, os atletas recorreram à marquise da arquibancada e às poucas árvores do local em busca de sombra para descansar após as provas que abriram a competição esta quinta-feira.

“Temíamos que isso pudesse acontecer”, admitiu o presidente da CBR, Edson Altino, lembrando que o Brasileiro do ano passado foi transferido para Brasília (em cima da hora), por causa das obras nas garagens. Além delas, a torre de arbitragem também não foi liberada e o presidente da Federação do Rio (FRERJ), Paulo Carvalho, negocia com o governo do Estado pelo menos a sua abertura para as finais de sábado e domingo.

“Essa é a oportunidade que temos de usar o legado dos Jogos Olímpicos, não faz sentido manter a torre fechada”, diz Paulo Carvalho, lembrando que, após os Jogos, a FRERJ já realizou uma regata do Campeonato Estadual e outra de velocidade, sem problemas. Além da torre de arbitragem, a maior obra física da Rio 2016 no local, apenas a marcação da raia albano e os deques de embarque lembram o palco da final épica do Single Skiff Masculino na Olimpíada, em agosto.

Ao todo, mais de 300 remadores, representando 25 clubes de 11 estados e do DF, estão inscritos nas 20 provas da principal competição nacional da modalidade. Dono do melhor resultado do país este ano – o bronze no Mundial Júnior em agosto, na Holanda –, Lucas Verthein está relacionado pelo Botafogo em seis disputas, uma a mais que o também alvinegro Uncas Tales – oitavo no Mundial Sub-23, no mesmo mês e local.

Integrante do barco masculino brasileiro nos Jogos, William Giaretton, do gaúcho Grêmio Náutico União (GNU) – campeão ano passado, quando os clubes do Rio não disputaram – também está inscrito em cinco provas, três delas em companhia de Xavier Vela, seu parceiro olímpico no Double Skiff Peso-Leve.

Campeã Mundial em 2011, Fabiana Beltrame é o destaque do Vasco em quatro provas, no que pode ser seu último Campeonato Brasileiro. Primeira remadora do Brasil a disputar os Jogos Olímpicos, Fabiana ficou fora da Rio 2016 e decidiu voltar no fim do ano para Florianópolis, sua cidade natal. Ela está em todas as provas femininas Sênior, e em três pode enfrentar Fernanda Nunes, do Flamengo, e Vanessa Cozzi , do Pinheiros (SP), que representaram o país nos Jogos.

As eliminatórias continuam nesta sexta-feira, com 11 baterias eliminatórias, cinco repescagens e duas semifinais A/B, entre 8h e 13h45. As finais serão no sábado e no domingo, a partir de 9h. A entrada no Estádio de remo é gratuita.

Resultados de quinta-feira (27/10)
Lista de partida sexta-feira (28/10)

Leia também:
Botafogo é Campeão Brasileiro de Barcos Curtos em SP
União ganha quase metade das provas no Brasileiro Entre clubes e CBR, remadores do Rio não vão ao Brasileiro 

 

© Remo em Voga ®

 

Anúncios

Sobre remoemvoga

Notícias e vídeos sobre o remo brasileiro e competições internacionais
Esse post foi publicado em Remo Nacional e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s