Documentário mostra a paixão dos remadores pelo esporte

Remar éRemar é… A definição para a prática de um esporte que remete às origens da História humana, como meio de transporte e instrumento de guerra ou lazer, não é fácil. Para encontrá-la, o diretor Valério Fonseca procurou mostrar o dia a dia dos que acordam cedo para pôr o barco na água. Durante 74 minutos, o documentário “Remar é…” faz um passeio pelas garagens de Botafogo, Flamengo e Vasco, no Rio, ouvindo profissionais e amadores sobre sua paixão pelo esporte.

Com fotos e recortes de jornais antigos, garimpados em clubes como Boqueirão do Passeio, Santa Luzia e São Cristóvão, o filme resgata tempos de glória – como a conquista da Copa Latina, que lotou o Estádio de Remo da Lagoa em 1976, em cenas impensáveis hoje em dia. A dois anos dos Jogos Olímpicos na cidade, o documentário registra o triste legado que as promessas inacabadas do Pan-2007 deixaram na Baía de Guanabara, contribuindo para o declínio dos clubes na região.

O abandono aparece também nas imagens da futura raia olímpica na Lagoa, com o pontão de largada destruído e a mortandade de peixes que ainda ameaça o local. Mas depoimentos como o de Fabiana Beltrame, que conta sua trajetória de Florianópolis até o título Mundial conquistado em 2011, ajudam a entender porque a modalidade sobrevive apesar da falta de apoio e da perda de espaço, com a ocupação do Estádio de Remo por atividades não relacionadas ao esporte.

Foi remando pela primeira vez no Botafogo, em 2009, que o ator Valério Fonseca teve a ideia de fazer o filme. Nascido em Natal, no Rio Grande do Norte, ele foi buscar no Rio Potengy o elo entre as duas cidades, lembrando a histórica travessia dos potiguares que vieram até o Rio de Janeiro em uma yole, na década de 1950. Um exemplo de determinação como o do mineiro Isaac Ribeiro, que nasceu como um problema nas pernas e encontrou no para-remo a força para tornar-se um atleta, representando o Brasil nas Paralimpíadas de Londres, em 2012.

Resultado de três anos de pesquisas e filmagens, o documentário já foi exibido em festivais de cinema no México, em Portugal e em Cuba, e participará em junho da competição da Rassegna Internazionale Sport Film Festival, em Palermo, na Itália. A estreia no Rio é nesta quinta-feira, às 21h, no Cine Joia, em Copacabana, com previsão de ficar em cartaz pelo menos uma semana.

“Estamos tentando levar para Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre. Nossos amigos do remo têm me ajudado nesse processo e agora chegou o momento de assistirmos o filme com muita alegria”, afirmou o diretor ao site da CBR, lembrando que “no Brasil, se o filme não tiver publico bom na primeira semana já sai de cartaz”.

Para os não praticantes, o documentário é uma oportunidade de conhecer quem leva aqueles “barquinhos” à Lagoa, do início da manhã ao cair da noite. Aos que vivem o dia a dia do esporte, “Remar é…” presta uma homenagem singela, porém emocionante, com imagens do saudoso Irineu na garagem do Botafogo. Para os que reclamam da falta de visibilidade da modalidade, é a chance de mostrar que o remo tem público, dentro e fora d’água.

Blog do Cine Joia

Teaser do filme

O Cine Joia fica na Av. Nossa Senhora de Copacabana, 680, entre as ruas Sta Clara e Figueiredo Magalhães. O telefone para confirmar o horário das sessões é (21) 2236-5671.

 

© Remo em Voga ®
Anúncios

Sobre remoemvoga

Notícias e vídeos sobre o remo brasileiro e competições internacionais
Esse post foi publicado em Remo Estadual e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s