Experiência e juventude dão tri à Bahia na Copa Norte-Nordeste

Com Samuel e Marilene ao centro, baianos festejam o título Foto: Fernando Fellows/Facebook)

Com Samuel e Marilene (ao centro), baianos festejam
(Foto: Fernando Fellows/Facebook)

Muda o clube, mas não o Estado. Após dois anos de triunfos do Vitória, o São Salvador garantiu a hegemonia baiana na Copa Norte-Nordeste. O alviverde da Ribeira ganhou 15 medalhas, sendo sete de ouro, uma a mais que o conterrâneo rubro-negro. Juntos, os dois clubes venceram metade das 26 provas disputadas no Lago Paranoá, em Brasília, no último fim de semana. O paraense Clube do Remo ficou em terceiro, com quatro ouros, um à frente do capixaba Álvares Cabral.

Maior colecionadora de ouros da competição, que disputa desde 1997, Marilene Barbosa, de 44 anos, contribuiu com quatro vitórias para o primeiro título do São Salvador. Três delas foram com Erika Santinoni (2xFSR, 2xFPL e 4xFSR) e uma no Single Skiff Peso-Leve (1xFPL) – além de uma prata no mesmo barco na categoria aberta (1xFSR), vencida por Caroline Lima, do Minas Brasília. Ao todo, o clube baiano foi ao pódio em seis das oito provas femininas, com Carla Carolina ganhando a prata no Single Skiff Sub-23 (1xFS23), atrás de Cláudia Herdes, da Asbac (DF).

No masculino o destaque alviverde foi Samuel Melo, de 20 anos, convocado pela CBR para participar do Campo de Treinamento da Seleção Brasileira. Treinando no Flamengo, ele ganhou um ouro (1xMS23), duas pratas (1xMSR e 2xMS23) e dois bronzes (4-MSR e 8+MSR). O São Salvador também venceu o Quatro Sem Júnior A (até 18 anos) e o Dois Sem Júnior B (até 16), foi prata no Single Skiff Júnior B e bronze no Dois Sem Júnior A, sendo o clube com mais medalhas conquistadas: 15 (7 ouros, 5 pratas, 3 bronzes).

O Vitória garantiu o vice-campeonato e a hegemonia baiana com 12 medalhas, ganhando seis ouros no masculino (2xMPL, 1xS23, 2-MJrA, 2Xms23, 2XMJrA e 8+MSR), duas pratas e quatro bronzes (dois no feminino). O Clube do Remo, do Pará, ficou em terceiro, com quatro ouros (2-MPL, 1xMSR, 4-MSR e 2-MSR),três deles com a participação de Deyvison Souto, também chamado para o período de treinamentos da Seleção.

Na disputa por Estados, a Bahia liderou o quadro de medalhas com 28 no total (13, 7, 8), o dobro das conquistadas pelos clubes de Brasília (3, 6, 5). Pará (5, 3, 3) e Espírito Santo (3, 4, 0) ganharam 11 medalhas cada, com Pernambuco, representado pelo Sport Recife, ficando com oito (0, 6, 2). O União, do Rio Grande do Norte, ganhou apenas duas medalhas, mas ambas de ouro (1xMJrB e 1xMJrA).

Criada 1961 com o nome de Copa Norte, a competição adotou a denominação atual a partir de 1979, com a inclusão de Espírito Santo e do Distrito Federal. Originalmente disputada entre Estados, passou a contar com a participação de clubes em 1995, mantendo o troféu original de posse transitória da Federação cujos clubes somem mais vitórias.

Segundo levantamento do pesquisador Da Silva Júnior, coordenador de Patrimônio e História da Federação de Remo do Espírito Santo, a competição só deixou de ser disputada em cinco anos (1965, 1966, 1968, 1969 e 1970). Em 49 edições, incluindo a última, Pernambuco é o Estado com mais títulos (17), seguido de Bahia (14), Espírito Santo (12), Amazonas e Pará (3 cada).

Resultados de sábado (22/11)

Resultados de domingo (23/11) e classificação final 

 

© Remo em Voga ®
Anúncios

Sobre remoemvoga

Notícias e vídeos sobre o remo brasileiro e competições internacionais
Esse post foi publicado em Remo Nacional e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s