Latino-americanos remam contra jejum de pódio nos Jogos

Remadores de 40 países já foram ao pódio Olímpico (Foto: Vicente Leal/Remo em Voga)

40 países já foram ao pódio Olímpico no remo
(Foto: Vicente Leal/Remo em Voga)

Entre os 40 países que já tiveram remadores no pódio em Jogos Olímpicos (contando as “três” Alemanhas), apenas dois são da América Latina: Argentina, dona do único ouro do continente, uma prata e dois bronzes; e Uruguai, com uma prata e três bronzes. A última medalha latino-americana foi há 44 anos, 12 antes da melhor colocação de um barco do Brasil: o 4º lugar de Walter Hime, Ângelo Rosso e Nilton Alonço no Dois Com em Los Angeles-1984.

Os argentinos foram ao topo do pódio em Helsinque-1952, com Tranquilo Capozzo e Eduardo Guerrero, que superaram barcos da União Soviética, Uruguai, França e Tchecoslováquia no Double Skiff, em prova com 16 países inscritos. A prata veio no Single Skiff Masculino, em Munique-1972, com Alberto Demiddi, que conquistara o bronze quatro anos antes, no México. A primeira medalha da Argentina também foi de bronze, em Berlim-1936, no Quatro Sem.

O uruguaio Guillermo Douglas foi o primeiro remador latino-americano a subir ao pódio Olímpico, para receber o bronze no Single Skiff em Los Angeles-1932. O melhor resultado do Uruguai foi a prata de Eduardo Risso na mesma prova, em Londres-1948, quando o país também ganhou seu primeiro bronze no Double Skiff Masculino – o segundo veio quatro anos depois, em Helsinque, na prova vencida pelos argentinos.

Os dois países terão representantes na Lagoa Rodrigo de Freitas. Os argentinos Brian Rosso e Lucia Palermo disputam o Single Skiff Masculino e Feminino, respectivamente, mesmo barco do uruguaio Jhonatan Esquivel. A maior delegação latino-americana será de Cuba, que compete no Single Skiff – com Angel Fournier, 6º no Mundial do ano passado, na França –, Double Skiff e Double Skiff Peso-Leve no Masculino, e Double Skiff Peso-Leve no Feminino – as duas últimas provas com presença brasileira.

Como o Brasil, Chile, México e Paraguai também conquistaram duas vagas nos Jogos. Equador e Venezuela têm um barco cada, mesmo número das ilhas caribenhas Bahamas, Belize, Bermuda e Trinidad e Tobago, todos em provas individuais.

O melhor resultado latino-americano em Londres-2012 foi dos argentinos Ariel Suarez e Cristian Rosso, 4º lugar no Double Skiff Masculino, a 2 segundos do pódio. O Brasil teve três barcos na raia de Eton, e a melhor posição foi o 13º lugar de Fabiana Beltrame e Luana Bartholo, com vitória na Final C do Double Skiff Peso-Leve Feminino.

Memória
Total de medalhas por país no remo em Jogos Olímpicos

Todas as participações do remo brasileiro em Olimpíadas

Leia também:
Alemães dominam histórico de medalhas no remo Olímpico Duplas do Brasil ficam em 9º na ‘prévia’ da Rio-2016
Bicampeões Olímpicos garantem presença na Rio 2016
Cuba é o único país latino-americano a ganhar vaga olímpica 

© Remo em Voga ®
Anúncios

Sobre remoemvoga

Notícias e vídeos sobre o remo brasileiro e competições internacionais
Esse post foi publicado em Remo Olímpico e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s