Uncas e Josiane são os destaques do remo brasileiro em 2014

Uncas: despedida histórica da categoria Júnior  (Foto: FISA)

Uncas: despedida histórica da categoria Júnior
(Foto: FISA)

Quando Uncas Tales começou a remar, em 2010, Josiane Lima já tinha uma medalha de bronze na Paralimpíada de Pequim, e uma de ouro e outra de prata em Campeonatos Mundiais. Quatro anos depois, o mineiro de 18 anos e a catarinense de 39 foram os destaques individuais do remo e do para-remo brasileiro nas competições internacionais em 2014, exemplos de renovação e maturidade da modalidade no país.

Campeão Pan-Americano no Single Skiff Júnior, em abril, no Uruguai, Uncas se despediu da categoria com o 12º lugar no Mundial em agosto, a melhor posição individual do Brasil em oito participações do país na prova. Ainda com 17 anos (fez aniversário em outubro), ele disputou três competições internacionais em um mês de viagens por três países em dois continentes.

Na penúltima semana de julho, o remador do Botafogo estreou no Mundial Sub-23, em Varese, na Itália, avançando direto às quartas de final do Single Skiff Peso-Leve. Pelo menos três anos mais jovem que seus rivais, Uncas garantiu seu lugar entre os 12 melhores da prova, mas não chegou à disputa por medalhas, terminando  em 11º lugar na categoria que disputará pelos próximos quatro anos – quando tentará repetir (ou superar) a prata e o bronze conquistados pelo amazonense Ailson Eráclito, em 2009 e 2010, respectivamente.

Dez dias depois, Uncas estreou em segundo no Mundial Júnior, também passando direto às quartas de final. Ele avançou à semifinal em terceiro lugar, mas não conseguiu quebrar o jejum de 27 anos desde que o Dois Com de Cleber Ferraz, Alexandre Buckton e Carlos Sobrinho (timoneiro) chegou entre os seis primeiros, em 1987. Mesmo assim, obteve a melhor posição individual do país no masculino na história da competição, com o sexto lugar na Final B, 12º no geral.

Da Alemanha, Uncas seguiu direto para Nanjing, na China, onde representou o Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude, ao lado da carioca Sophia Câmara, do Flamengo. Segundo na estreia, a 19 centésimos do alemão Tim Ole Naske, ouro no Mundial Júnior, o brasileiro venceu a repescagem e ficou a nove centésimos da disputa por medalhas, com o quarto lugar na semifinal. Sem se abater, fechou sua temporada internacional com vitória na Final B, e o sétimo lugar na classificação geral, com Sophia em 17º no feminino.

Destaques nos últimos anos, as principais remadoras brasileiras tiveram um 2014 difícil. Eleita pelo COB a melhor atleta de remo do país pelo quinto ano consecutivo, a catarinense Fabiana Beltrame, de 32 anos, ganhou as duas únicas medalhas do Brasil na modalidade nos Jogos Sul-Americanos, em março, no Chile, com ouro no Single Skiff e prata no Single Skiff Peso-Leve. A competição foi dominada pelos argentinos, que venceram as outras seis provas disputadas.

Em junho, Fabiana e a carioca Beatriz Cardoso, de 19 anos, campeã Sul-Americana Sub-23 no Single Skiff Peso-Leve em abril, no Uruguai, estrearam internacionalmente no Double Skiff PL com o 12º lugar na 2ª Etapa da Copa do Mundo, na França. As primeiras medalhas da dupla vieram no Festival Pan-Americano em julho, no México, com ouro no Peso-Leve e bronze na categoria aberta, garantindo duas das dez vagas que o Brasil conquistou nos Jogos Pan-Americanos de 2015, no Canadá. A hegemonia desta vez foi cubana, com 13 medalhas em 14 provas, sendo oito de ouro.

A expectativa em torno da participação da dupla do Flamengo no Mundial Sênior acabou antes da primeira prova. Beatriz passou mal na véspera da estreia no Double Skiff Peso-Leve e precisou de hidratação de emergência, o que levou à exclusão do barco, por ultrapassar o limite de 57kg da categoria na pesagem oficial. No masculino, os brasileiros ficaram em 10º lugar no Four Skiff e em 23º lugar no Double Skiff, ambos no Peso-Leve.

Pelo segundo ano consecutivo, coube ao para-remo a conquista de uma medalha para o Brasil na principal competição da FISA (Federação Internacional de Remo), com o bronze de Josiane Lima e Michel Pessanha no Double Skiff TA (tronco e braços) Misto. A dupla repetiu a posição de Cláudia Santos em 2013, na Coreia do sul, mantendo a tradição de bons resultados do país na modalidade, rebatizada de para-remo pela CBR este ano.

Foi a terceira medalha da atleta do Aldo Luz na prova, na qual já ganhara ouro em 2007, na Alemanha, com Lucas Pagani, e prata em 2009, na Polônia, com Elton Santana – seu parceiro no bronze na Paralimpíada de Pequim, em 2008. Prata na Copa do Mundo em 2012, na Sérvia, com Isaac Ribeiro, Josiane começou 2014 com seu terceiro título no Mundial Indoor (CRASH-B), em fevereiro, nos Estados Unidos, e acabou eleita pelo CPB a melhor para-remadora do Brasil.

 

© Remo em Voga ®
Anúncios

Sobre remoemvoga

Notícias e vídeos sobre o remo brasileiro e competições internacionais
Esse post foi publicado em Remo Internacional, Remo Nacional e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s